Projecto solidário JIM

PERU

Este ano, o Projeto JIM, pretende colaborar no Desenvolvimento e Promoção Social dos bairros de periferia Villa Ecológica, Ampliación e Villa Canteras.

 “Ayllu”

(Significa comunidade e família em Quechu[1])

 

Desenvolvimento social e paroquial

Descrição do povoamento humano da Villa Ecológica

O Peru, apesar dos índices macroeconómicos positivos que tem vindo a apresentar, mantém uma taxa de pobreza de cerca de 30% da população. Como em toda a América Latina, a desigualdade é enorme. Junto das zonas selvagens e das montanhas, as periferias urbanas são o culminar desta desigualdade.

A cidade de Arequipa está localizada na região sul peruana, numa zona de serra, a uma altitude de 2300 metros. Atualmente tem mais de um milhão de habitantes. Na sua parte norte encontra-se o distrito de Alto Selva Alegre e, num dos seus extremos, nas encostas do vulcão Misti e a mais de 2500 metros de altitude encontra-se o povoamento humano da Villa Ecológica. Tem cerca de 2.5 km2 de extensão e a sua população atual supera os 6 000 habitantes. Atualmente, o bairro está a crescer em extensão e população

O terreno é muito acidentado, com presença de barrancos e ravinas. As rochas vulcânicas são predominantes que, em muitas ocasiões transformam-se em areia e poeiras devido à exposição aos ventos, à escassa vegetação e à grande diferença térmica entre o dia e a noite.

No aspeto demográfico, a população é composta por famílias, 80% com escassos recursos e 20% em situação de extrema pobreza. O crescimento populacional é de cerca de 2.7% anual e o número médio de filhos por família são de 4,3. A população infantil apresenta um elevado índice de desnutrição. O bairro recebeu um importante fluxo migratório especialmente das províncias altas de Arequipa e dos departamentos (estrutura administrativa local) vizinhos de Puno e Cuzco, que conta com um importante componente indígena de língua quéchua.

O povoamento humano Villa Ecológica, pela sua localização, é o destino final de muitas pessoas pobres, que formam famílias reconstituídas, jovens casais que fugiram de suas casas, ou que por gravidez precoce se vêm obrigados a constituir uma nova família. Também se instalam aqui pessoas dos Andes com muitos problemas económicos e sociais. E por vezes pessoas que têm problemas com a lei.

Não existem alternativas de diversão ou educação promovidas pelo estado, não há controlo sobre os meios de comunicação, não existe proibição de bebidas alcoólicas a menores, e não existem agentes da polícia para controlarem os pequenos traficantes de droga locais, apesar de serem bem conhecidos e identificados pela maioria da comunidade.

 

Objetivo geral

Fortalecer a pastoral social em Villa Ecológica, Ampliación e Canteras articulada com a pastoral paroquial do Bom Pastor[2].

 

Objetivos específicos

  • Promover a aproximação da população ao novo centro de saúde
  • Prevenir e acompanhar situações de violência familiar
  • Criar equipas de líderes na pastoral social, aproveitando as competências das líderes que já trabalham na paróquia.

 

Antecedentes e Justificação

 Os missionários Combonianos estão com 17 anos de presença paroquial na Villa Ecológica. Muito trabalho já se realizou até agora. A paróquia tem estado presente na vida concreta de muitas famílias apoiando espiritualmente e materialmente. Tem-se vindo a criar povo onde haviam famílias isoladas. Existe um novo posto médico paroquial na Villa Ecológica, que queremos que seja missionária: aberta especialmente aos mais necessitados.

Esta nova etapa de amadurecimento comunitário, marcado também pelo aparecimento de novas comunidades nos setores mais remotos, a paróquia precisa fortalecer líderes que garantam a continuidade dos trabalhos e aprofundem a presença fraterna.

Deus tem suscitado líderes naturais na comunidade. Na sua maioria, mulheres com capacidades de liderança. A paróquia é chamada a detetá-las, potenciá-las e fortalecê-las para que reconheçam a sua vocação como enviadas pelo Pai para a comunidade.

Este trabalho requer paciência, tempo, desgaste subindo e descendo colinas e, devemos incumbi-lo a pessoas capacitadas que sejam reconhecidas como um pilar que oferece a base para um futuro mais fecundo da comunidade.

 

Atividades

 

Promover a aproximação da população ao novo centro de saúde:

  • Realizar uma campanha de divulgação do centro de saúde de Villa Ecológica junto dos lugares mais afastados de Villa Ecológica, Ampliación e Canteras.
  • Criar uma equipa de promotoras de saúde para alargar a informação a todas as pessoas.
  • Coordenar com os responsáveis do centro de saúde, com a equipa de promotoras e com a assistente social todas as campanhas de saúde que realizarmos.

 

Prevenir e acompanhar situações de violência familiar:

  • Coordenar com o Centro de Emergência da Mulher e a Policia de Independência todas as atividades que realizarmos;
  • Criar uma equipa de facilitadoras contra a violência familiar;
  • Sensibilizar sobre a problemática da violência familiar;
  • Realizar o acompanhamento dos casos denunciados à Policia.

 

 Criar equipas de líderes na pastoral social:

  • Curso de formação de líderes (saúde e prevenção da violência) coordenadas com as outras pastorais presentes na comunidade;

 

O valor do projeto para dois anos é de 7000 € (sete mil euros) que corresponde a 26 530 PEN – Sol peruano (moeda do Peru).

Ver mais: Flyer projeto Ayllu

 

Para contribuir, pode fazê-lo directamente  ou para este IBAN: PT50 0036 0131 9910 0030 1166 0

Contactos para todas as informações:

Leigos Missionários Combonianos

Sandra Fagundes

Telemóvel: 966592658


[1] Quíchua, também conhecido como quechua ou quéchua, é uma língua indígena falada por alguns povos da América do Sul.

[2] Nome da paróquia que dá assistência à Villa Ecológica, Ampliación e Canteras